Vedações em equipamentos pneumáticos: como funciona?

Vedações em equipamentos pneumáticos: como funciona?


Você provavelmente já ouviu falar de vedações, mas realmente sabe como funciona quando estão ligadas aos equipamentos pneumáticos? Continue lendo este artigo para entender o que são vedações, quais são os compostos em equipamentos pneumáticos e suas principais características.

O que são as vedações?

São elementos que impedem que os fluídos dos diferentes equipamentos possam vazar para o interior ou exterior dos equipamentos, causando danos ao meio ambiente, perda de eficiência e desgaste prematuro.

Estas vedações são constituídas por diferentes compostos. Cada composto atende às necessidades específicas de projeto em acordo com a aplicação, temperatura de operação e compatibilidade química com o fluído e ou ambiente.

Quais compostos são utilizados em equipamentos pneumáticos e suas principais características?

Os mais comuns de uso em equipamentos pneumáticos são Buna-N, Viton®, PU e Teflon®. Saiba mais sobre cada um deles:

Buna-N ou NBR – Borracha Nitrílica

Borracha sintética obtida da polimerização de Butadieno com o Nitril Acrílico. O termo Buna vem das iniciais de Butadieno e Nitrium, matéria prima e catalisador no processo original.

Quando aplicadas em componentes pneumáticos possuem excelente durabilidade, com ar comprimido tratado e devidamente lubrificado.

Temperatura: -10° ~ 80°C

FKM – Viton®

FKM é a designação para aproximadamente 80% de fluoro-elastômeros. Sendo Viton® marca registrada de propriedade da empresa DuPont. 

Fluorelastômeros são mais caras que elastômeros neoprene ou borracha nitrílica, parcialmente por que fornecem resistência térmica e química adicionais. 

Sua aplicação em componentes pneumáticos é amplamente utilizada quando estes são aplicados em ambientes com alta temperatura, com agentes químicos em suspensão e também quando há necessidade de altas velocidades de deslocamento para cilindro pneumático e alta ciclagem em válvulas direcionais. 

Temperatura: -25° ~ 180°C

PU – Poliuretano

Esse polímero é o resultado da reação entre o diisocianato de parafenileno e o etilenoglicol (etilenodiol) utilizado não somente em vedações, como também em isolamento térmico e acústico, calçados, estofados etc.

Sua aplicação nos componentes pneumáticos necessita de ar comprimido tratado, porém podendo operar com ou sem lubrificação e elevada durabilidade.

Isso possibilitou a aplicação de equipamentos pneumáticos em ambientes limpos como, por exemplo, produção de medicamentos, alimentos, embalagens, entre outros.

Temperatura: – 30° ~ 80°C

PTFE – Teflon®

O politetrafluoretileno, abreviação PTFE, é um polímero conhecido mundialmente pelo nome comercial teflon, marca registrada de propriedade da empresa DuPont.

Descoberto durante experimento pelo Eng. Roy Plunkett em 1938, sua aplicação mais conhecida foi como antiderrapante em panelas em meados de 1960.

Muito utilizada como fita guia em diferentes atuadores permitindo um sistema adequado com baixo atrito mecânico. Também possui elevada resistência a produtos químicos, baixa absorção de água, resistência total a intempéries.

Temperatura: – 200° ~ 260°C